Camisas do Boca – confirmadas!

Ainda estou matutando sobre ela – gostei do tom do azul, da gola na mesma cor da camisa, mas ainda não digeri o amarelo da manga. Foto do twitpic do Boca, dica do Ronei Stein.

(foto em melhor resolução, enviada pelo Raul – valeu!)

(e a foto posada – um tanto sinistra, diga-se de passagem – na frente do The Grove Hotel, onde o time está hospedado para se preparar para a Emirates Cup, enviada pelo pessoal da Nike – valeu Bruno!)

Livro sobre as camisas do Bahia

Recebi do nosso habitué Ronei (valeu!) o livro Bahia – 80 Anos Contados Por Suas Camisas, escrito por ele, pelo Arilde (outro visitante ilustre), Duda Sampaio, Ruy Guimarães, Alexandre Teixeira e Eduardo Guimarães, arte de Pedro Lima.

Mais do que contar a história das camisas de maneira detalhada – como as camisas da CCS e da Rhumell que nunca foram usadas, ou a história da camisa vermelha – o grande barato do livro é a maneira apaixonada que os autores – tricolores por supuesto – contam esta história, a ponto de criarem uma seção com as top 5 camisas de cada um, e de convidarem os leitores a completarem o livro com as próximas camisas que virão, à exemplo de um álbum de figurinhas. Enfim, leitura obrigatória pros amantes das camisas.

Pra quem curtiu, o livro está à venda no endereço http://www.livrotricolor.com/.

Camisa “Fita Azul” do Santa Cruz

O Alberto Correia manda esta: o lançamento da camisa “Fita Azul” do Santa Cruz foi hoje à noite, segundo notícia do CoralNet.

Segundo o post, este é “o terceiro modelo de camisa em homenagem ao título de Fita Azul do Santa Cruz, concedido pela CBF ao Tricolor por ter excursionado pela Ásia e Europa no início do ano de 1980 e voltado invicto para o Brasil”. A camisa está à venda na CoralShop por 159 mangos.

Gostei da combinação de cores, e do logo do Santa no estilo do logo das camisas dos anos 70, mas sei lá, esperava um pouco mais de, hã, pimenta da Cavalera. Ficou interessante, mas nada que vire os olhos.

Singela homenagem ao Uruguai

Parabéns à seleção uruguaia, que venceu o Paraguai na final por 3 a zero e sagrou-se campeã de uma das edições mais surreais da Copa América (não sei se é mais bizarro o Brasil ter ficado atrás da Venezuela na classificação final, ou o Troféu Fair Play ter acabado nas mãos do…próprio Uruguai). De qualquer modo, felicitaciones a los celestes!