Feliz 2012!

Neste ano, além de ter conseguido camisas fantásticas através de trocas e compras, também tive a felicidade de ganhar camisas.

Não eram camisas compradas em alguma loja: eram camisas que pertenciam ao presenteador – que por motivos diversos, resolveu me dar uma camisa (a do Flamengo, usada pelo Zico, foi assim), ou mesmo toda sua coleção – Lazio e Escócia’94 vocês já viram, outras irão aparecer nos #FootballShirtOnFriday. Sim, uma coleção inteira.

Mais do que a generosidade, o que me tocou no gesto foi o desapego, coisa difícil de se ter em um métier ligado ao ato de colecionar. Mas perfeitamente possível de se exercer – cansei de ver meu velho dando alguma peça de carro que ele tinha pra quem estava reformando o seu e lhe faltava aquela peça pra terminar a reforma do carro. E perfeitamente compreensível, talvez tenha a ver com o ¨gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar¨, mas ainda não chego à tanto.

Enfim, acho que o apego às coisas, crenças e opiniões que valem à pena, é uma boa meta a ser perseguida em 2012. São os votos deste blog. 😉 Um abraço a todos e até o ano que vem.

(voltamos à programação normal na quinta-feira ou em edições extraordinárias, dependendo da conexão à Internet aqui em Ibiuna…)

Previsões para 2012

Janeiro: O São Paulo inicia o Campeonato Paulista com uma camisa sem patrocínios “apenas nas primeiras rodadas”. Multidões correm para comprar a camisa. Uma semana depois, o time anuncia que jogará todo o campeonato sem patrocínio na camisa. Uma semana depois, anuncia as Óticas Diniz como seu patrocinador master até 2014. Corinthians, Santos, Inter, Coritiba e Bahia jogam com camisas-tampão, à espera dos novos uniformes da Nike.  O Cruzeiro apresenta uma camisa toda azul, com o Cruzeiro do Sul no peito, e a imprensa especializada acha “genial”. Rumores dão conta de que a adidas pagará a multa rescisória do contrato de fornecimento dos uniformes e passará a fornecer para o Flamengo.

Fevereiro: vazam no Todo Sobre Camisetas as camisas europeias da Nike: a Juventus jogará de marrom, o Barcelona de vermelho, o Manchester United de preto com duas listras verticais amarelas e o Paris Saint Germain de salmão. O Botafogo apresenta seus uniformes “revolucionários” para a temporada: nada mais do que template do Sportivo Luqueño em branco e preto. O Flamengo desmente os rumores que dão conta de que a adidas pagará a multa rescisória do contrato de fornecimento de seus uniformes. Insatisfeitos com os resultados negativos do time, presumidamente devido ao azar do fabricante, torcedores santistas criam a campanha #VoltaUmbro.

Março: O Santos anuncia a suspensão de seu contrato com a Nike, e o retorno da Umbro como seu fornecedor de uniformes. O Bahia joga contra o Colo-Colo com uniformes da Lotto, fruto de um contrato-tampão por problemas com o recebimento dos uniformes-tampão da Nike. A Lotto aproveita e lança uma coleção comemorativa aos títulos do Torneio Início da Bahia de 1931, 1932, 1934, 1937, 1938, 1951, 1964, 1967 e 1979. Novos rumores dão conta de que a adidas pagará a multa rescisória do contrato de fornecimento dos uniformes e passará a fornecer para o Flamengo.  A atriz Viviane Araújo apresenta os uniformes do Libermorro, de Manaus.

Abril: a Nike anuncia oficialmente os uniformes europeus: a Juventus jogará de vermelho, o Barcelona de marrom, o Manchester United de salmão e o Paris Saint Germain de preto com duas listras verticais amarelas. Sobre o vazamento das camisas, a Nike alega que as fotos eram de um fornecedor vietnamita que errou na aplicação dos logotipos. Insatisfeitos com os resultados negativos do time, presumidamente devido ao azar do fabricante, torcedores santistas criam a campanha #VoltaAMDDMA.

Maio: o Corinthians anuncia sua camisa para o Brasileirão: branca com braçadeiras pretas e detalhes nos ombros, gola branca e logo vintage do fornecedor, sendo bem recebida pela imprensa especializada. Denúncias de que antigos catálogos de uniformes do Colo Colo foram achados em um lixão de Barueri não são confirmadas. O Flamengo desmente os rumores que dão conta de que a adidas pagará a multa rescisória do contrato de fornecimento de seus uniformes.

Junho: após mortes de conselheiros ainda não esclarecidas e uma inesperada alteração no estatuto do clube, a adidas anuncia o uniforme laranja do Fluminense. Insatisfeitos com os resultados negativos do time, presumidamente devido ao azar do fabricante, torcedores gremistas criam a campanha #VoltaOlympikus.

Julho: o Atlético Mineiro confirma entendimentos com a Le Coq Sportif para ser seu fornecedor de uniformes nos próximos 5 anos. A atriz Viviane Araújo apresenta os uniformes do Sabiá Branco, de Não-Me-Toque (RS).

Agosto: Um hacker invade a conta do Mercado Livre de um conhecido comerciante carioca e faz um saldão com todas as camisas à venda, gerando prejuízo estimado em 15 milhões de reais. Insatisfeitos com as ousadas coleções realizadas pela adidas para seus times, torcedores do Lyon e do Marseille criam a campanha #VoltaLeCoq.

Setembro: na decisão pela medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de Verão, o Brasil perde nos pênaltis para a República Tcheca após empate em 0-0 no tempo normal. Parte da imprensa credita a derrota aos calções off-white e ao meião azul-turquesa usados na partida, que “fogem à tradição canarinha e são feios pra burro”. A Nike promete um novo uniforme para as Olimpíadas do Rio.

Outubro: o Flamengo anuncia a ampliação do contrato com a Olympikus até 2026, com multa rescisória de R$ 250 milhões. O fabricante lança um novo uniforme para o time com listras largas, gola pólo em V, mangas negras, duas pequenas listras nos ombros e a inscrição “Chupa” na parte interna da gola. A atriz Viviane Araújo é agredida na apresentação dos uniformes do Comerciantes Unidos, de Cajamarca, Peru, por desfilar acidentalmente com a camisa do Los Inseparables de Cutervo, seu rival histórico, apresentada na noite anterior.

Novembro: tendo nos últimos anos homenageado os uniformes do Palestra, da Itália, da Parmalat e da Academia, e por pura falta de outras referências históricas, o Palmeiras cria campanha de “escolha o manto sagrado do Alviverde”, em que os adeptos do time poderão escolher, entre 15 templates de seu fornecedor, qual será o uniforme para 2012. Campanha #VoltaChamps, criada por torcedores do Flamengo com perfis falsos de torcedores vascaínos, chega aos Trending Topics do Twitter.

Dezembro: Por engano, um estagiário de um conhecido varejista britânico de artigos esportivos inclui camisas inéditas – como a camisa marrom da Juventus e a vermelha do Barcelona – no tradicional saldão de Natal. O prejuízo pode passar dos 150 milhões de libras.

21 de Dezembro de 2012: em uma cerimônia com o tema “Por Que Nós Somos Assim”, a Nike apresenta o uniforme do Brasil para a Copa do Mundo, através de uma projeção holográfica no alto do Pão de Açúcar. A camisa é maravilhosa: as cores são vivas e marcantes, o corte é perfeito, o material é de primeira, a camisa é confortável, os detalhes são cuidadosamente pensados, o desenho respeita as tradições e é moderno ao mesmo tempo, o preço é convidativo. Aí a terra começa a tremer, o Cristo Redentor começa a desabar…

Camisa do Bayer Uerdingen (quem?)

Quem começou a gostar de futebol internacional nos anos 80 defrontou-se com uma certa dificuldade em entender quem é quem no futebol alemão: além de dois Borussias (um deles de uma cidade cujo nome tem 16 letras), havia o Bayern Munchen, o Bayer Leverkusen e o Bayer Uerdingen, time igualmente patrocinado pela empresa farmacêutica e que teve momentos de glória ao vencer a Copa da Alemanha em 1985 e alcançar a semifinal da Recopa em 1986. Nos anos 90 o time oscilou entre a primeira e a segunda divisões, perdeu o patrocínio da Bayer para o futebol profissional e agora está na quinta (ou sexta?) divisão alemã, com o nome de KFC Uerdingen 05. Seu uniforme atual é bonitinho – o da temporada anterior, à venda na loja do clube, era melhor – mas não tem a classe da indefectível camisa azul-clara da adidas dos bons tempos…

Nova camisa do Japão para 2012

Pra mim, camisa do Japão tem que ser louca, sem padrões, sem muita lógica, sem muitas convenções (o que, por coerência, me levará a dizer “odiei” no dia em que aparecer uma camisa do Japão “tailored by Umbro”, por exemplo). Posto isso, digo que gostei do uniforme feito pela adidas. Pode não estar à altura das camisas dos anos 90 (onde as loucuras daquela época casaram muito bem com o “briefing” acima exposto), mas tem o grau exato de insanidade com a faixa contínua vermelha na frente (se a faixa fosse mais grossa, ou fosse na horizontal, aí eu retiraria o que disse) ao mesmo tempo em que o azul marinho com vermelho deu elegância ao conjunto, e valorizou o azul royal das mangas (foto da loja virtual da adidas). Mais fotos no site da adidas para a JFA (alguém encara traduzir pra nós?).

Boas Festas para todos!

Um cartoon compartilhado pelo amigo Alexandre Jungermann representa bem o desejo deste site: não importa se você é colecionador, apreciador, desenhador, trocador, curioso, adidista, naiquista, troll (sim, eles também merecem)…que todos tenham Boas Festas, e aproveitem todas as coisas boas que acontecem nelas, desde os presentes (alguém ganhou camisa? compartilhe aqui o que ganhou!) e a oportunidade do reencontro até a mera oportunidade de reflexão que este período do ano proporciona.

Camisa do Deportivo La Coruña, da Rox

Revival de um post de 3 anos atrás: a Umbro levou a fama fazendo a camisa do Superdepor nos anos 90, mas o desenho de listras assimétricas, tão copiado aqui no Brasil por fabricantes como Dell’Erba, Drible, Carioca e Elite, foi criado pela Rox no fim dos anos 80 (se não me engano esta camisa é de 1991, da época em que o Dinho, ex-São Paulo, jogava lá). Foto deste perfil do Facebook.

Singela (e atrasada) homenagem ao Barcelona

Ainda estou um pouco letárgico, com algumas pitadas de catatonia, depois da surra, digo vitória acachapante do Barcelona, por isso não fiz a homenagem habitual aos campeões – aproveito o anúncio da camisa com o scudetto que o Barça usará neste temporada. Na boa, aquele jogo dará margem para conversas e mais conversas, análises e mais análises, mais ou menos como deve ter sido após a derrota para o Brasil para a Holanda na copa de 74. Enfim, quanto à camisa, eu não curti muito esse template mas ele ficou equilibrado com o azul e o grená. Gozado é que no meio do ano viu-se que a camisa titular tinha um problema com o tecido utilizado, que absorvia mais suor do que o normal e deixava a camisa mais pesada – problema que foi corrigido um mês antes da final. A pergunta que não quer calar: e se não tivesse sido: será que dava pro Peixe? 😉

Camisas da J-League

Dica do John Schutze, saiu no FSC: mais do que a camisa do Kashima (bem sem graça), eu curti a camisa do Sanfreece Hiroshima. Ainda que o xadrez não tenha lá muito a ver com o time (abstrações com flechas e com o número 3 seriam compreendidas, conforme a origem do nome do time), o resultado de brincar com texturas nos quadrados do xadrez ficou tão bom que eu me pergunto por que diabos ainda não fizeram nada parecido para a camisa da Croácia.

Camisa reserva da Itália

Conforme saiu no Todo Sobre Camisetas, esta é a camisa reserva da Itália, que estará disponível a partir de fevereiro. Minha primeira reação foi dizer que achei sem graça, e que não é lá muito original (a Nike está brincando de faixas nesta temporada e os próprios comentaristas do post lembraram que a Itália já jogou assim nos anos 70, e em 99), mas prefiro esperar mais fotos pra entender qual é a dessa camisa aí.