Camisa do Brighton and Hove Albion para 2013

Saiu no Football Shirt Culture a camisa do BWA para 2013. E daí – perguntam-se os leitores – tanto time inglês do segundo e terceiro escalão lançando camisa…o que essa daí tem de mais? E eu respondo: me parece que os fabricantes de camisas, como um todo, estão bastante nivelados – não tem aparecido nada totalmente revolucionário e genial. Assim, o que têm me chamado a atenção das camisas que saem são: 1) grandes elementos (cores diferentes, formas geométricas não exploradas, diagramação etc); 2) detalhes. E nesse quesito, a sutileza do detalhe amarelo na gola da referida camisa, combinando com o amarelo dos punhos e da barra, fez a diferença – cuidado bem típico da Erreà. Pena que a marca italiana não forneça uniformes pra times daqui…

Balanço final – Miami, Orlando e Nova York (parte 2)

Seguindo com a história: depois de Miami, três horas de estrada (um tapete), um Red Bull de 500ml, e estávamos em Orlando. E aí o mundo das compras descambou de vez: lojas, outlets e a sensação permanente que alguma coisa incrível não estava sendo comprada naquele momento. Menos mal que o sabor final foi o dos parques – o marmanjo aqui já estava chorando ANTES de entrar no Magic Kingdom. 😉

Sobre as camisas, procura daqui, procura dali, e ai ficamos sabendo da existência de uma loja no Florida Mall. Não uma loja qualquer: era a United World Soccer.

705_610838888930492_1807715374_n

A loja era linda: espaço, iluminação, tevês passando jogos da Premier League…valeu a visita. De times mundiais, não tinha nada bizarramente diferente (puxando pela memória, tinha Rangers, Fulham, América do México, Newcastle e a linha casual completa da Italia), mas tinha TODAS as camisas da MLS num esquema de “pague uma leve duas” (ia sair 40 dólares cada uma). Enfim, meu santo não bateu com nenhuma e eu não levei nada.

Aí, em uma visita ao outlet da adidas, achei a famosa arara de clearance. E aí a coisa começou a ficar boa: Portland Timbers (as duas) Houston Dynamos (a laranja) e Chivas Guadalajara (azul marinho com pinstripe vermelho) por 60 reais. Aí não deu.

522735_611529928861388_21984638_n

Depois me cantaram a bola que nos Marshall’s, TJ Maxx e Ross se achava mais camisas. Confesso que meus olhos estavam voltados pra outro tipo de camisas (pô, não é toda hora que você acha camisa social da Tommy Hilfiger por 20 dólares e da Polo por 30), mas fica a dica pros próximos viajantes.

Aí Nova York. Não teve jeito: até havia uma quantidade razoável de camisas de soccer na Foot Locker, Modell’s, Dick’s, Champs, Paragon – mas da Blackout Collection do NY Cosmos, nada (na Paragon ainda tive que aguentar o vendedor que achava que o Cosmos não existia mais). Enfim, fica o pretexto pra voltar pra cidade e terminar o safári. 😉

Camisas do Gangwon FC (quem?)

Sairam no Football Fashion as novas camisas do glorioso Gangwon FC, da K-League, feitas pela Astore. Não há nada propriamente genial nessas camisas não – o que me chamou a atenção foi a globalização do contexto: um fabricante do Pais Basco fornecer uniformes para um time da Coreia do Sul. A assinatura do contrato deve ter sido divertida…

Balanço final – Miami, Orlando e Nova York (parte 1)

(o relato seria bem mais rico em fotos se eu não tivesse perdido meu celular na viagem…)

Depois de 16 dias de compras, compras e mais compras, segue o tão esperado relato do safári de camisas em Miami, Orlando e Nova York.

Primeira conclusão off-topic: pra mim, que já tinha dado ido pros Estados Unidos mas ficado muito pouco tempo, ficou a surpresa com a abundância.

Abundância de tudo: tamanho dos pratos, quantidade de lojas, itens à venda, preços, enfim, vou precisar de mais algumas viagens pra lá pra conseguir entender como o americano médio consegue lidar com ela 1) sem ficar louco; 2) tirando proveito dela para outros fins que não ela mesma.

Talvez eles lidem melhor do que nós, brasileiros, pelo fato dela sempre ter estado lá – enquanto pra nós ela surge durante o período de uma viagem, e aí a sensação é a daquela brincadeira do Gugu em que o fulano entra numa cabine com um monte de dinheiro voando e tem 30 segundos pra agarrar o que puder. Enfim, em alguns momentos, as visitas aos outlets eram verdadeiros pesadelos. Mas depois passava.

Findo o off-topic, falemos das camisas. Eu não fui tão afoito por elas pelo fato de não ir muito com a cara das camisas da MLS, todas muito bonitas mas que não me causaram nenhuma grande compulsão – tava mais preocupado com uns eletronicozinhos e umas roupas pra mim. Mas, por dever de ofício, não ia chegar num shopping sem tentar descobrir o que havia por lá – e aí as dicas dos leitores foram fundamentais.

Primeira parada: Miami. Foi só um dia, mas deu pra ir ao Sawgrass Mills. Lojas esportivas gigantescas (a Sports Authority é fantástica), mas das que eu fui, de camisas interessantes, neca – só em uma delas, acho que na Sportville, tinha uma jaqueta N98 do Barcelona, toda laranja (eu nunca tinha visto) por uns 150 reais. No fim, a única compra digna de nota foram o carregador de celular pro carro (sim, eu tinha esquecido dele) e o chip da T-Mobile pra poder usar internet no celular (uns 3 dólares por dia pra ter internet ilimitada, mas com velocidade reduzida para 2G por motivos ainda inexplicados).

(continua…)

Singela homenagem ao Campinense

Com a vitoria por 2×0 sobre o ASA, o Campinense sagrou-se campeao da Copa do Nordeste – ou a “Lampions League”, conforme populares e alguns meios de comunicacao andam falando – fotos do globoesporte.com e do site do time. O desenho da camisa (dos patrocinios nao da pra falar) foi o ovo de Colombo pra se resolver a eterna problematica das listras horizontais: mangas listradas, lateral e barra (nas costas) com cor escura predominante – um desenho que colocou no bolso as ultimas realizacoes da Olympikus pro Flamengo (tirando o de 2012). Parabens para a Rota do Mar.

Linha retro da Umbro para o Clube do Remo

A Umbro Brasil ja tinha vocacao de fazer belos uniformes retro – Santos e Atletico Paranaense ja foram premiados com belas criacoes – e agora o Clube do Remo eh ungido pela graca. Pra mim a camisa esta perfeita, simetrica, enfim, eh uma camisa pela qual eu faria alguma loucura financeira para te-la (e olha que o cartao de credito esta totalmente comprometido com as compras da viagem…) Saiu no album da Umbro Brasil no Facebook, dica do Henrique Vianna e do Tigê Sevá.

Camisa away da Irlanda para os WC Qualifiers

Srs, sim eh uma opiniao polemica. Mas eu acho que, com tudo que eu gosto da Umbro, ainda mais agora que ela foi cuspida pela Nike Inc. praticamente sem as roupas do corpo, eu acho que a camisa da selecao da Irlanda tah precisando de uma arejada de marca, nao ta saindo mais nada que me surpreenda. Acho que uma Kappa ou uma Errea, por umas 2 temporadas, mudaria um pouco o estilo das camisas para que a Umbro voltasse triunfalmente depois. Saiu no album da Umbro ” mae”, dica do Felipe_Diogo.

[off] Post do 6o. dia util

Na hipótese de alguém não ter gastado todo seu salário com as contas do Carnaval ou mesmo com casacos para a mulher em algum outlet… seguem as ofertas da FutFanatics para este mês. O cupom é o mesmo: MINHASCAMISAS (a validade dele é até o dia 17 de marco), e a regra do desconto eh a mesma do mes passado: são 7% de desconto nas compras acima de R$ 99,00 (comprando no boleto, os 10% de desconto permanecem). Vamos a elas:

Olympique de Marseille away (a preta com detalhes em vermelho, amarelo e verde, lembram dela?) por 99 lascas, fora os descontos;

Hannover 96 de 2007, da Diadora, 99 lascas (tem a vermelha tambem, mesmo preco);

Paris Saint Germain do ano retrasado, vermelha – 125 reais fora os descontos.

Young Boys de 2011, da Puma (nao confundir com o Sport Boys, camisa cuja compra deve ser feita com certa cautela…) – 64 reais sem desconto.

Na escolha do editor, eu iria em:

Genoa branca, da Lotto – com um corte mais usavel (leia-se “mais solto”) do que os das camisas que a Asics fazia;

Shaktar Donetsk branca, manga comprida (um pouco mais cara do que a que eu destaquei no mes passado, com os martelinhos, mas essa eh mais estilosa)

Bolivia, da Walon, com gola polo (eh meio carinha, mas vale o investimento)

Lyon desta temporada, sem patrocinio (nao que o Hyundai comprometa muito, mas a camisa fica muito mais bonita sem ele)

A lista completa das camisas (tem por baixo umas 800) voce encontra aqui.

Bom proveito!