Camisas Dry World para o QPR

Nesta quarta-feira a Dry World desembarcou na Terra da Rainha para vestir o Queens Park Rangers.  O conjunto é formado por três uniformes; o titular remonta os usados pela equipe londrina em meados dos anos 80, já o reserva deixa de ser rubro-negro e parte para combinação de tons de azul. Por último temos o terceiro conjunto em vinho com amarelo ouro, uma combinação no mínimo diferente para o QPR. Sinceramente, não tinha a menor noção como poderiam ser as criações da Dry World mundo a fora já que a aventura futebolística da empresa canadense praticamente começou no Brasil, mas o resultado agradou. O novo escudo redondo do clube não compete com o logo do material esportivo, o patrocinador, mesmo sendo das odiosas casas de apostas online, tem cara de empresa de tecnologia e por último as faixas horizontais não tem interrupção.  Agora é esperar como vai ser a estreia no Watford.

Camisa reserva Umbro do RC Lens

Item clássico do clube francês, o uniforme reserva negro do RC Lens volta em 2016-17 pelas mãos da Umbro. Não há muito esforço envolvido aqui, mas a memória afetiva da camisa da Copa da Liga de 2003 me cativou. Curioso são as matérias que falam que há azul ou verde na peça. Só reparei nos detalhes em dourado

Novo conjunto Kipsta do Valenciennes

Neste final de semana saíram as fotos oficiais da camisa titular e as ilustrações das peças II e III que a Kipsta fez para o Valenciennes. A Kipsta é uma marca da rede de lojas de material esportivo Decathlon. Comparado ao que a Uhlsport fazia para equipe francesa, pouco mudou, mas pelo menos não está com cara de fardamento e como diz a chamada da Kipsta, que aventura comece!

Novas camisas do Celta de Vigo

A parceria com a Citroën se foi, o ar clássico reinante nas últimas criações Adidas para as camisas do Celta de Vigo, pelo menos nesta temporada, também.  Isto porque o clube apostou na inserção de detalhes amarelos na tradicional titular celeste e deixou a reserva mais parecendo fardamento para a pelada da semana. Que lancem uma camisa 3 para salvar o dia.

Camisa retro Diadora da Bélgica

Com a Euro em andamento, a Diadora fechou uma parceria com a belga Panthers para criar um modelo retro inspirado na camisa da Seleção Belga usada no Mundial de 94. Meio sumida do grande público futebolístico, é legal ver marca italiana dando esta oportunidade aos camiseiros de plantão. Tirando os itens óbvios que dariam treta com a Adidas, atual fornecedora do selecionado, a camisa é uma excelente reprodução da equipe de Michel Preud’homme e Marc Wilmots.

Nova camisa tricolor do São Paulo

Tinha visto no Facebook da Under Armour o destaque, mas a dica fica com Raphael Couto para a matéria do Globo Esporte.com. Indo ao ponto, a nova camisa do São Paulo ficou espetacular. Tricolor como deve ser, sem boxes ou interrupções, gola polo e até a gravatinha da UA bem encaixada.  Pelo custo anunciado de mais de 300 lascas para a versão caprichada, a torcida merece pelo menos uma opção sem patrocínio. A estreia está prevista para esta quinta-feira em partida contra o Sport Recife no Morumbi pelo Brasileiro.

Nova camisa do Millwall

A Erreà divulgou neste final de semana a nova camisa do Millwall. O design listrado traz de volta o conjunto usado na campanha de 59 partidas sem derrota em casa entre 1964 e 1967. Confesso que esperava ver a clássica indumentária em azul marinho, mas foi uma grata surpresa. Muito melhor do que o design feito pela torcida para camisa reserva.

Camisa do Guarani pelos 63 anos do Brinco de Ouro

Saiu agora a nova camisa do Guarani comemorativa de 63 anos do Brinco de Ouro. Em edição limitada, a novidade do Bugre é apenas a versão Joma do clássico uniforme alviverde de faixas horizontais. Formula que não tem como errar, mas já perdi as contas do número de oportunidades em que o conceito foi usado como comemorativo. Mais honesto dar a peça logo o status de terceiro uniforme.

Camisa comemorativa do Flamengo

Dica do Mantoteca, o Flamengo lançou sua camisa IV em homenagem ao espírito olímpico, já que o Rio de Janeiro está prestes a sediar os jogos de 2016. Em cinza escuro, com as tradicionais três listras Adidas em vermelho, peça tem como firula pequenos detalhes nas cores que representam os cinco continentes. O clube da Gávea tem tradição de conquista em diversos esportes além do futebol (campeão do mundo em 1981), como mundial de basquete masculino (2014), basquete feminino (1966), natação (Cesar Cielo – 2011) e ginástica artística (Diego Hipólito – 2005 e 2007). Mas daí, eu não consegui ver nada que empolgasse em uma camisa pré-existente com pingos de tinta da pintura lá de casa. Correto mesmo é a hashtag da campanha #‎NemMeViu, não vi mesmo.
Fotos: Gilvan de Souza/Flamengo